play music

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

AMAR ETERNAMENTE...

Um dia adormeci…
No teu olhar infinito…
E vi o mundo a girar…
Nas asas da liberdade…

Deixei-me levar pela felícia…
Em nirvana de sensualidade
Perdi-me nas entrelinhas…
Do teu corpo sensual…

Hoje indago o infinito...
Buscando minha estrela…
No negrume da constelação
Acordado até a alvorada…

Vejo reflexos e fotos…
De falésias, praias e trilhos
Clichés de felicidade adiada
Que se exibe na tela mundana

Vou ficar adormecido…
Na recordação do teu olhar
Até conseguir um dia…
Amar-te em liberdade…

Apenas por ti…vivo…
Desejo-te mortalmente
Ainda que morra...
Desejar-te-ei eternamente…

António Afonso 2017/08/04

(Reservados direitos de autor – lei 50/2004)